Revista Aviação Notícias – Especial: Embraer investiga acidente com Henan Airlines E-190 – Quarta, 25 de Agosto de 2010

Técnicos brasileiros vão ajudar na perícia do acidente ocorrido ontem, na China, com um avião fabricado pela empresa.

Morreram na tragédia 43 dos 96 passageiros e tripulantes.

Edson Luiz

Embraer na tragédia

Avião fabricado no Brasil, com 96 pessoas, sai da pista após o pouso e se incendeia. Acidente deixa 43 mortos e 20 feridos, três deles com gravidade. Técnicos da empresa viajam para ajudar na investigação.

Um avião de passageiros construído pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), com 96 pessoas a bordo, saiu da pista durante a aterrissagem, no nordeste da China, deixando pelo menos 43 pessoas mortos entre os escombros, segundo a agência oficial chinesa Xinhua. Outros 53 ocupantes da aeronave foram resgatados com ferimentos e 20 foram hospitalizados, três deles em estado grave. Até o início da noite de ontem, as autoridades locais não sabiam as causas do acidente.

O Embraer 190 (E-190), com capacidade para até 120 passageiros, é um modelo da nova geração de jatos médios que a empresa brasileira exporta. A aeronave fazia o voo 8387, entre Harbin, capital da província de Heilongjiang, e a cidade de Yichun (veja o mapa). A empresa brasileira não divulgou especificações da aeronave acidentada, mas divulgou nota na qual se solidariza com as famílias das vítimas e informa que enviou técnicos à China para ajudar no esclarecimento da tragédia.

A Embraer já disponibilizou equipe de técnicos que se dirige ao local, com o intuito de apoiar as autoridades Aeronáuticas chinesas na investigação, diz o texto.

De acordo com autoridades da Administração de Aviação Civil da China (Caac, na sigla em inglês), o avião havia decolado de Harbin às 20h51 (9h51 em Brasília). Pouco menos de uma hora depois, às 21h36 (10h36 em Brasília), o piloto teve problemas na manobra de pouso, fazendo com que o aparelho saísse da pista e colidisse, pegando fogo em seguida. Segundo a mesma fonte, o avião transportava 91 passageiros entre eles cinco crianças e cinco tripulantes. Agências internacionais de notícias informaram que havia muita neblina na região de florestas de Lindu, no nordeste da China. Isso poderia ter causado o acidente, fazendo com que a aeronave se partisse em duas partes.

Num primeiro momento, a agência oficial chinesa havia informado que o avião explodira, mas em seguida foi noticiado que antes ocorrera a colisão. Várias equipes de socorro foram enviadas imediatamente ao local do acidente, situado a 150km da fronteira com a Rússia e a 1.500km de Pequim. O vice-diretor do Departamento de Segurança Pública da Província de Heilongjiang, Sun Bangnan, afirmou que incêndio foi prontamente contido e que os corpos foram encontrados em meio aos destroços da aeronave.

Perícia O vice-prefeito de Yichun , Wang Xuemei, foi ao local e informou que, entre os sobreviventes, três se encontravam em estado grave. Como alguns passageiros foram arremessados para fora da cabine no momento do acidente, suas possibilidades de sobreviver eram escassas, explicou Wang a uma emissora de televisão. O governo da China formou uma comissão, presidida pelo vice-premiê Zhang Dejiang e integrada por representantes das áreas de segurança, transportes e saúde e segurança, com a missão de investigar as causas do acidente e determinar medidas para lidar com as consequências. Os peritos esperam obter mais informações quando for encontrada a caixa preta do aparelho.

O aeroporto onde ocorreu o acidente é novo foi inaugurado em 2009 e de pequeno porte.

Ele faz parte do projeto do governo chinês de ampliar a infraestrutura aeroportuária do país, que inclui diversos outros aeroportos em várias províncias.

O de Yichun é usado apenas para voos regionais assim como o avião da Embraer, que não é utilizado em linhas comerciais internacionais.

A Henan Airlines, que até o ano passado se chamava Kunpeng Airlines, é subsidiária da estatal Air China e está sob controle da Shenzhen Airlines.

Modelo faz sucesso no mercado

O Embraer 190 (E-190) é um avião comercial de porte médio, com capacidade para 98 a 114 passageiros, dependendo da configuração interna que pode ser dividida em até duas classes, com duas fileiras de assentos.

Fabricada no Brasil, a aeronave faz parte da família Embraer 170/190 de e-jets, composta por quatro tipos de jatos comerciais com capacidade entre 70 e 122 assentos.

Os jatos dessa família entraram em produção comercial a partir de 2002.

O E-190 se chamava originalmente ERJ-190 (Embraer Regional Jetliner), mas a empresa modificou o nome para não caracterizálo como próprio ex-clusivamente para a aviação regional.

O modelo atinge velocidade máxima de 870km/h, voa à altitude de até 12.500m e tem alcance de 4.448km. Se partir de Brasília, pode viajar para qualquer país da América do Sul sem fazer escalas.

Até 30 de junho, 290 unidades do E-190 haviam sido vendidas em todo o mundo, e a Embraer contava ainda com pedidos para a venda de mais 167. Em 21 de julho, a empresa assinou acordo de US$ 960 milhões (cerca de R$ 1,7 bilhão) para vender 24 jatos (cada um a US$ 40 milhões) à empresa norte-americana Republic Airlines, dona de seis companhias Aéreas.

Em 2008, o governo federal comprou dois E-190, por R$ 211 milhões, para usá-los como aviões presidenciais. A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu o primeiro modelo em 25 de setembro do ano passado e o segundo, em janeiro deste ano. Os dois aviões foram adaptados para abrigar um escritório, um quarto com cama de casal e assentos para 54 passageiros.

A companhia Henan Airlines, dona da aeronave que caiu ontem na China, tem 25 jatos E-190 em sua frota e encomendou mais 25. A região da Ásia e do Pacífico foi responsável por 29% das receitas obtidas pela Embraer em 2009, segundo dados da própria empresa.

Fonte: CORREIO BRAZILIENSE, via NOTIMP

Fabricante vai enviar técnicos para investigar

Em nota, a Embraer expressou ontem “profundas condolências” em relação ao acidente com o voo 8387 da Henan Airlines e informou que “disponibilizou equipe de técnicos” que viajará e dará auxílio às autoridades chinesas nas investigações.

O acidente de ontem pode ser o maior da história da Embraer. Questionada, a empresa não confirmou o dado. Disse apenas que era o primeiro com um jato das famílias 170 e 190.

Há hoje 652 unidades desse jatos em 39 países.

Levantamento em arquivos on-line mantidos por fãs de aviação indica que, até ontem, o pior acidente envolvendo um Embraer havia sido a queda de um EMB-120 operado pela Rico Linhas Aéreas, em 2004, em Manaus. Na ocasião, 33 morreram.

Os mesmos arquivos virtuais mostram que, de entre 2007 e 2009, a companhia colombiana AeroRepública registrou pelo menos três incidentes com jatos Embraer 190 -todos sem vítimas.

CHINA

O choque também foi o pior da China desde 2004, quando um avião da China Eastern Airlines caiu num lago congelado, matando todos os 53 ocupantes.

A aviação civil chinesa ganhou fama de insegura nos anos 1990.

Na época, em plena expansão, acidentes eram frequentes, o que levou o governo a investir pesado no setor, melhorando desde companhias aéreas até o controle de tráfego aéreo e os aeroportos.

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO, via NOTIMP

Avião da Embraer cai na China e 43 morrem

Aeronave parte-se em dois e pega fogo durante aterrissagem com forte neblina: 53 pessoas são resgatadas com vida, mas 3 estão em estado grave.

Reuters e AP – O Estado de S.Paulo

PEQUIM. Um avião de passageiros fabricado pela empresa brasileira Embraer, com 96 pessoas a bordo, sofreu um acidente ontem durante pouso no aeroporto da cidade de Yichun, perto da fronteira com a Rússia. Quarenta e três pessoas morreram e 53 foram resgatadas com vida.

Segundo a agência de notícias estatal Nova China, o avião E-190 operado pela Henan Airlines levava 91 passageiros, incluindo 5 crianças, e 5 tripulantes. Autoridades de Yichun confirmaram que a maioria dos feridos teve ferimentos leves, como fraturas e queimaduras. Apenas três sobreviventes foram hospitalizados em estado grave.

A aeronave, que havia decolado de Harbin, capital da Província Heilongjiang, saiu da pista no momento da aterrissagem e partiu-se em dois, pegando fogo. Alguns passageiros foram lançados para fora da aeronave no momento do acidente.

Mais 500 bombeiros e integrantes da equipe de resgate levaram mais de uma hora e meia para apagar o incêndio. Partes da fuselagem do avião ficaram espalhada por cerca de um quilômetro. Não há informações sobre as causas do acidente. A Nova China informou que havia muita neblina na hora do pouso.

Em nota, a Embraer afirmou que uma equipe de técnicos da empresa está a caminho da China para ajudar nas investigações sobre as causas do acidente – que representa um revés para o crescente setor aéreo chinês. O setor passou vários anos sem sofrer acidentes graças a uma frota renovada e medidas de segurança rígidas. O último grande acidente da aviação civil na China foi em 2004, quando uma aeronave da China Eastern caiu sobre um lago congelado ao decolar, provocando a morte de mais de 50 pessoas.

O aeroporto de Yichun é um pequeno terminal local inaugurado ano passado, como parte do crescente número de instalações aéreas construídas em áreas remotas da China para impulsionar o desenvolvimento econômico.

A Henan Airlines é uma pequena empresa regional que realiza somente voos domésticos usando aeronaves fabricadas pela Embraer, principalmente em rotas no norte e noroeste da China. A empresa, antes chamada de Kunpeng Airlines, foi relançada este ano e pertence à companhia aérea estatal Air China.

As empresas regionais chinesas que fazem rotas curtas no país enfrentam dificuldades com a perda de passageiros para linhas de trem de alta velocidade que a China expandiu recentemente.

Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO, via NOTIMP

Embraer vai ajudar China a investigar acidente aéreo que matou 43 pessoas

Avião saiu da pista em aeroporto na província de Heilongjiang. Ficaram feridas 53 pessoas, segundo as autoridades locais.

Do G1, com agências internacionais

A fabricante brasileira Embraer anunciou nesta terça-feira (24) que vai ajudar as autoridades locais na investigação das causas de um acidente aéreo com um avião da companhia e que deixou 43 mortos e 53 feridos na China.

Três dos feridos estão em estado grave, disse o vice-prefeito da cidade de Yichun, Wang Xuemei.

O acidente com o avião de passageiros ocorreu na província de Heilongjiang, nordeste da China, às 22h10 locais, segundo a Xinhua.

A aeronave era um Embraer 190 da companhia aérea local Henan Airlines, baseada na província chinesa de mesmo nome.

Em nota, a empresa brasileira externou condolências às famílias e aos amigos da vítima e informou que mandou ao local uma equipe de técnicos para colaborar com as investigações da causa do acidente.

As circunstâncias do acidente ainda não estão claras. A aeronave teria saído da pista durante o pouso em um aeroporto doméstico da cidade, a 150 km da fronteira com a Rússia, colidido e pegado fogo.

A pista estava coberta de nevoeiro, disseram testemunhas.

O avião havia decolado uma hora antes da cidade de Harbim, capital da província.

As agências chinesas informaram que havia 96 pessoas a bordo. Seriam 91 passageiros -cinco deles crianças- e cinco tripulantes.

Imagem

Trabalhos de resgate nos destroços do avião acidentado nesta terça-feira (24) na China. (Foto: AFP)

Fonte: PORTAL G-1, via NOTIMP


Revista Aviação Notícias
“Desejamos que você, ao lê-la, tenha o mesmo prazer que nós, ao fazê-la!” ®
Copyright © 2010 Aviação Notícias ®
Computer Technology: New York, Los Angeles, USA
São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasil
Todos os direitos reservados


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s