.


.

Aviation News Releases ® – Latest Headlines

.

English (ANR Global) and Portuguese (ANR Brasil) Editions in Alternate Days

Edições em Inglês (ANR Global) e Português (ANR Brasil) em Dias Alternados

.

Aviação Notícias – Thursday, November 19, 2009

Embraer, General Electric, Azul e Amyris anunciam projeto de avaliação de combustível renovável para jatos

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

Empresas planejam realizar vôo de demonstração até 2012

Rio de Janeiro, Brasil, 18 de novembro de 2009 – A Embraer, General Electric e Amyris
anunciaram hoje a assinatura de um Memorando de Entendimento (Memorandum of
Understanding) para avaliar os aspectos técnicos e de sustentabilidade do combustível
renovável da Amyris para jatos, denominado No CompromiseTM. A iniciativa pode resultar em
um vôo de demonstração de um E-Jet da Embraer de propriedade da Azul Linhas Aéreas
utilizando motores GE no início de 2012.

Esta parceria combina fabricantes de aeronaves e motores líderes da indústria, uma companhia
aérea comprometida e o desenvolvimento e produção de uma nova geração de combustível
para jatos. O objetivo é acelerar a introdução de um combustível renovável para jatos capaz de
reduzir significativamente as emissões de gases de efeito estufa e oferecer uma alternativa
sustentável de longo-prazo para combustíveis para jatos derivados de petróleo.

“Tornar os céus mais limpos é uma tarefa bastante complicada e requer amplo
comprometimento e expertise da indústria”, afirma Frederico Curado, Diretor-Presidente da
Embraer. “Esta parceria com empresas de alto nível certamente representará um
importante passo nesse desafio.”

O combustível renovável para jatos desenvolvido pela Amyris é uma alternativa promissora
aos combustíveis para jatos convencionais derivados de petróleo. Feito com base na canade-
açúcar, a proposta é oferecer segurança no fornecimento, aspecto renovável, estabilidade
no preço e significativa redução das emissões de gases de efeito estufa em comparação à
atual base de combustíveis para jatos. “Este é um grande e inovador passo dado pela
indústria de transporte aéreo na luta contra o aquecimento global”, comenta David Neeleman,
Presidente do Conselho de Administração da companhia aérea brasileira Azul.

O novo combustível já foi testado pelo Laboratório de Pesquisas da Força Aérea dos Estados
Unidos, Instituto de Pesquisas Southwest, GE Aviation e outras indústrias.

“A GE está comprometida em desenvolver e produzir motores a jato mais eficientes (em
termos de consumo de combustível) e com menor impacto ambiental para as companhias
aéreas de todo o mundo”, afirma Chuck Nugent, Gerente-Geral da GE Aviation Small
Commercial Engines. “No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito em outras áreas para
que tenhamos céus mais limpos. Esta parceria reforça o compromisso da GE.”

O governo brasileiro (via “Financiadora de Estudos e Projetos” – FINEP) já está
contribuindo financeiramente com o programa. O Brasil tem a maior produção mundial de
cana-de-açúcar e experiência na produção de etanol, que constitui uma importante etapa
para o desenvolvimento do combustível renovável da Amyris para jatos.

A Amyris produz seu combustível renovável utilizando a recente tecnologia de biologia
sintética. Por meio da alteração do metabolismo de micro-organismos, como em leveduras,
a Amyris é capaz de produzir “fábricas de processamento” que transformam o açúcar em
uma grande variedade de produtos renováveis, incluindo diesel, combustível para jatos e
produtos químicos de alto desempenho.

“Este é um projeto revolucionário para o transporte aéreo”, comenta John Melo, CEO da Amyris.

“Ele demonstra que uma indústria unida pode se desenvolver em um cenário de redução de
emissão de poluentes por meio da utilização de recursos sustentáveis.”

Fonte: EMBRAER



Infraero e Governo do Acre avançam no estudo para melhorias no Aeroporto de Rio Branco

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

A Infraero e o Governo do Acre de definiram, nesta quarta-feira (18/11), em Brasília, os primeiros ajustes para viabilizar as melhorias no Aeroporto Internacional de Rio Branco. Participaram da audiência com o presidente Murilo Marques Barboza, na sede da empresa, o senador Tião Viana (PT-AC) e o secretário de Desenvolvimento do Estado, Gilberto Siqueira.
O Estado do Acre ofereceu à Infraero parceria semelhante a que foi desenvolvida em relação ao Aeroporto de Cruzeiro do Sul. O convênio contemplaria o compromisso do Estado em arcar com 10% dos custos das obras e a elaboração dos projetos básico e executivo de uma nova pista e de um novo Terminal de Passageiros.
Técnicos da Infraero e do Governo do Estado vão agora trabalhar na proposta que deve se adequar ao Plano Diretor do aeroporto. Qualquer alteração no Plano deve ser aprovada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

 

¿O aeroporto deve ser o espelho de sua sociedade. Fico muito feliz quando um estado ou um município propõe a parceria, porque, mesmo que passem os gestores, permanecem os acordos que traduzem um desejo maior da comunidade local¿, afirmou o presidente da Infraero.  Assim deve ser também, segundo Murilo Barboza, em relação à atração de novos voos – tanto para o Acre quanto para regiões necessitadas – que precisam de um empenho dos gestores locais. ¿Já temos feitos todos os esforços para promover os voos fronteiriços com ações junto ao Governo do Peru e sugerimos que estudem incentivos fiscais para atrair empresas aéreas¿, disse Murilo.

 

O senador Tião Vianna ressaltou que estes modelos de parceria de sucesso devem ser copiados. Segundo ele, é um compromisso com o direito de ir e vir de todo o povo amazônico, além de contribuir fortemente para atividades comerciais, de carga e turísticas. O secretário Gilberto Siqueira destacou a possibilidade de o Estado realizar processos licitatórios com mais agilidade, por isso acredita numa nova ¿dobradinha¿ com a Infraero.
Já está em curso convênio com o Exército Brasileiro para reforma e ampliação da atual pista no valor de R$ 28 milhões.

Fonte:   Assessoria de Imprensa Infraero

 



Começa na Bahia encontro sobre infraestrutura aeroportuária mundial

 

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

Teve início na manhã desta terça-feira (17/11) a XVIII Assembléia Regional Anual Mundial do Conselho Internacional de Aeroportos para a América Latina e Caribe (ACI-LAC), que este ano é patrocinada pela Infraero.  Na abertura, em Costa do Sauípe (a 76 km do Aeroporto Internacional de Salvador), o presidente da Infraero Murilo Marques Barboza enfatizou a importância da cooperação internacional e a troca de informações entre gestores de aeroportos. ¿A ACI é um importante indutor do desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária mundial. Temos que fomentar a parceria entre os aeroportos da América Latina e do Caribe, e destes com os demais da América do Norte, Europa, África e Ásia¿, disse Murilo.

A mesa da cerimônia também foi composta pelo presidente da ACI, James Cherry; presidente da ACI-LAC, Miguel Southwell; diretora geral da ACI, Angela Gittens; diretor da ACI-LAC, Eduardo Flores; secretário de Aviação Civil do Ministério da Defesa, Tenente Brigadeiro-do-Ar Jorge Godinho, diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea),Tenente Brigadeiro-do-Ar Ramon Borges Cardoso, e comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Arnon Lima Barbosa.

O presidente da Infraero também lembrou que, para o futuro próximo, a Infraero tem dois grandes desafios: sediar a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016, na cidade do Rio de Janeiro, além dos Jogos Mundiais Militares de 2011. ¿Estes desafios não são apenas do Brasil, são da América Latina, são nossos¿, alertou.

O presidente da ACI-LAC, Miguel Southwell., destacou que os aeroportos são agentes econômicos porque dinamizam a economia dos países. ¿É muito importante que os aeroportos operem com segurança e eficiência, e é muito importante para o Brasil ser membro da ACI. Precisamos que nossos membros aprendam o máximo que puderem sobre operações eficientes e viáveis financeiramente¿, afirmou Southwell. Na opinião dele, a Bahia foi uma excelente escolha para sede da XVIII Assembléia pela hospitalidade e cortesia do seu povo.

Para Eduardo Flores, a participação da Infraero foi de fundamental importância para a realização e sucesso da XVIII Assembléia da ACI-LAC. O encontro que tem o objetivo de discutir assuntos operacionais referentes ao sistema aeroportuário, tais como segurança, meio ambiente e capacitação, além de questões administrativas e políticas. Os cerca de 300 participantes representam 200 aeroportos de 35 países, de regiões como Norte da América, América Latina e Caribe, Europa, África, Ásia e Pacífico.

Programação

Executivos e técnicos da Infraero participam até esta quarta-feira (18/11) dos debates: ¿ O estado de segurança aeroportuária e segurança operacional na região da América Latina e Caribe ¿ (com a participação da superintendente de segurança aeroportuária da Infraero Eliane Arnaldo); ¿ O papel da privatização no futuro dos aeroportos da região LAC ¿ (assessor da presidência Ricardo Jose Rodrigues); ¿ Desafios e oportunidades para a obtenção de renda não-aeronáutica ¿ (gerente de planejamento e acompanhamento de projetos Walter Americo Souza); ¿ Tendência de concessão comercial aeroportuária ¿ Aquisições do passageiro, serviços & anúncios ¿ (gerente comercial da Superintendência Regional Nordeste Andrea Arrais) e ¿ Projetos atuais e planejamento de melhoria aeroportuária nas capitais da América Latina ¿ (superintendente de estudos e projetos de engenharia Jonas Lopes).

Fonte:   Assessoria de Imprensa da Infraero

 


Galeão tem novo superintendente

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

O AIRJ (Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro) – Galeão,  já tem novo superintendente. O baiano André Luis Marques de Barros assumiu o cargo em substituição a Mário Jorge Fernandes de Oliveira que será o novo superintendente da recém criada Superintendência Regional do Sudeste, com sede em Belo Horizonte….

Read full story / Ler notícia completa



Concessão de aeroportos servirá para manter terminais deficitários, diz diretor

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

Todo o recurso obtido com a eventual concessão de aeroportos públicos deverá ser reinvestido no próprio sistema de aviação civil, financiando a ampliação e manutenção de aeroportos hoje considerados deficitários. A afirmação é do diretor do Departamento de Política de Aviação Civil do Ministério da Defesa, Fernando Antônio Ribeiro Soares….

Read full story / Ler notícia completa