Brazil Offers International KC-390 Partnerships

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

Robert Hewson/Show News, Paris

Brazil will soon internationalize its KC-390 tactical airlifter and airborne tanker program. High-level discussions with potential foreign partners are already under way at a government-to-government level. Embraer’s evp for defense and government programs, Orlando José Ferreira Neto, tells Show News he is standing by for instructions from Brasilia on a new joint investment and development phase, which will be delivered in the very near future.

The KC-390 development contract signed in April came into force last month. Over the next 24 months Embraer and the Brazilian Air Force (FAB) will conduct two series of definition studies to decide the final configuration of the KC-390. These will be followed by a 12-month Joint Definition Phase that will fully integrate the new risk-sharing partner (or partners) into the program. However, the expansion of the KC-390 team will come well before then.

Says Orlando Neto, “The KC-390 is FAB intellectual property, it belongs to them. Embraer is a technical and industrial partner. Because it is a military program, adding new partners needs a government-to-government connection before there are industrial connections. The FAB and the Brazilian government are conducting some very active discussions right now and we expect to have at least a handful of high-level partners for the KC-390. It will be a top down process beginning at a government level before coming to Embraer.

“Within the next three years every aspect of this aircraft has to be agreed and defined. The Joint Definition Phase has to start in Month 25 [of 36], so if we are to be ready for that the whole process starts right now. Within the next 12 months we need to have things in place for a formal government and industrial arrangement. I would expect that to be agreed by the end of 2009 or early next year.

“Yes, that is an aggressive schedule, but it is our reputation to be aggressive and successful.”

Embraer’s choice of engines for the KC-390 is still an unknown quantity. The company says it needs a turbofan in the 27,000-lb thrust class and that a supplier decision will be made in the next 24 months. Safran has told Show News that when Embraer issues an RFP for engines it will bid a CFM engine, along with GE. Pratt & Whitney’s Geared Turbofan (GTF) is another obvious candidate.

Two years ago nobody, outside Embraer, had heard of the KC-390. When it was unwrapped at the 2007 Latin American Aerospace and Defence (LAAD) exhibition, Brazil’s new airlifter was a surprise. In fact, Embraer had been working on its military transport program since at least 2005. The intention was to use the design experience garnered from the Embraer 170/190 regional jet family and translate that into a new short takeoff and landing (STOL) tactical airlifter. With a 19-tonne payload and a maximum takeoff weight (MTOW) in the 70-tonne class, the turbofan-powered C-390 was firmly positioned as a rival to the C-130J Hercules.

Early on Embraer realized that the transition from civil to military design requirements would not be easy. Embraer abandoned its attempt to adopt regional jet manufacturing to a military mission. The KC-390 will still be certified to FAR Part 25 standards. However, during 2008 it was significantly redesigned to emerge as a T-tailed aircraft with a much-revised wing, fuselage and landing gear configuration. The redesign also transformed the original C-390 into the multi-role KC-390 tanker/transport.

The KC-390 will undertake the complete range of tactical transport missions, with a full air drop capability for troops and cargo — including LAPES deliveries at very low levels. The main hold has a payload capacity of 19,000 kg. It also incorporates the ability to be both refuelled in the air and to act as an airborne tanker itself, with wing-mounted hose and drum units.

This major new program was formally launched into production on April 14 at Rio de Janeiro’s LAAD 2009 event. The FAB plans to replace its existing C-130E/H and KC-130H Hercules aircraft with the KC-390, requiring a fleet of about 20 new aircraft to enter service from 2015 onward. An initial batch of three development aircraft will be produced.


Air France 447 – Destroços do Airbus começam a ser entregues a autoridades francesas

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

da Agência Brasil
da Folha Online

O tenente-coronel da Aeronáutica Henry Munhoz, porta-voz da Aeronáutica, confirmou a chegada da fragata Constituição ao porto do Recife hoje (14), às 10h, e começaram a ser entregues para autoridades francesas. A embarcação transportava os destroços do Airbus da Air France.

O Airbus caiu no oceano Atlântico no último dia 31, após decolar do Rio com destino a Paris, com 228 pessoas a bordo. Até ontem, as embarcações brasileiras haviam resgatado das águas do Atlântico 43 corpos. Um navio francês informou ter retirado seis corpos.

Eraldo Peres/AP
Centenas de destroços do Airbus que caiu no Atlântico chegam a Recife. Maior fragmento recolhido até agora está entre eles
Centenas de destroços do Airbus que caiu no Atlântico chegam a Recife. Maior fragmento recolhido até agora está entre eles

“O material recolhido está sendo descarregado da fragata e entregue às autoridades francesas para investigação”, disse Munhoz. Depois de reabastecida, a embarcação retornará às buscas.

Leia a cobertura completa sobre o voo AF 447
Veja nomes de ocupantes do voo 447
Veja onde conseguir informações sobre o voo

Segundo Munhoz, o tempo na região já melhorou, permitindo que as buscas pelas vítimas e pelos destroços retornem ao ritmo normal. “Estão mais favoráveis [condições meteorológicas] do que as de ontem mas ainda não são ideais”.

Entretanto, se necessário, é possível que o efetivo de 12 aparelhos da FAB sejam empregados para as buscas. As duas aeronaves disponibilizadas pela França passam por manutenção.

Marcelo Sayão/Efe
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas

A Aeronáutica informou, também, que a aeronave C-130 Hércules da FAB já pousou em Recife, com os seis corpos catalogados e pré-identificados em Fernando de Noronha.

Hoje (14), o diplomata francês Pierre-Jean Vandoorne –encarregado das relações com as famílias das vítimas da tragédia do voo AF 447 –visitará o centro de operações de buscas e participará de reunião com as autoridades da Marinha e da Aeronáutica para se informar sobre o andamento dos trabalhos.

Revisão

Equipes que trabalham nas buscas de corpos de 228 ocupantes do voo 447 informaram neste domingo que foram localizados e tirados das águas do Atlântico 43 vítimas, e não 44 como vinha sendo informado.

Segundo comunicado à imprensa fornecido pela Aeronáutica, a retificação ocorreu após o trabalho de pré-identificação realizado em Fernando de Noronha por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco.

Segundo a PF (Polícia Federal), o fragmento encontrado possuía 80 centímetros e, após análise, constatou-se que se tratava de um pedaço de um animal marinho de grande porte que pode ter sido atingido por alguma embarcação de pesca.

O erro ocorreu devido à impossibilidade de reconhecimento visual, segundo a PF. Ao menos 16 corpos estão irreconhecíveis e em adiantado estado de decomposição.

A equipe que trabalha no arquipélago é formada por sete peritos da Polícia Federal e dois da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.


Air France 447 – Para controlador da Airbus, “convergência de causas diversas” derrubou voo 447

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

da France Presse, no Rio
da Folha Online

Os diretores da EADS –grupo controlador da Airbus– apelaram neste domingo à “prudência” na hora de buscar a explicação do acidente com o voo 447 da Air France, que caiu no dia 31 deste mês no oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo.

“O que ocasiona tal acidente é uma convergência de causas diversas”, declarou Louis Gallois, presidente executivo da EADS, casa matriz da Airbus, em um seminário organizado neste final de semana.

Leia a cobertura completa sobre o voo AF 447
Veja nomes de ocupantes do voo 447
Veja onde conseguir informações sobre o voo

“Não sabemos se os Pitot (sondas que permitem medir a velocidade durante o voo) tiveram algo a ver no acidente, ninguém sabe”, disse Gallois, referindo-se a declarações do diretor geral da Air France-KLM, Pierre-Henri Gourgeon.

Gourgeon disse na quinta-feira que não estava “convencido de que as sondas sejam a causa do acidente” do voo AF 447.

As declarações foram feitas após indicações de “incoerências” na velocidade medida por sondas do avião desaparecido feita pelo Departamento de Investigação e Análise (BEA, em francês), encarregada das investigações. O departamentou afirmou que não existe “um vínculo estabelecido” entre essas sondas e a tragédia.

A Air France também teve que acelerar a substituição de suas sondas Pitot, instrumentos de medição de velocidade em voo, em seus modelos Airbus A330 e A340, pressionada pelos pilotos e depois de vários incidentes em 2008 ligados a falhas nesses dispositivos.

Buscas

A busca pelos restos do Airbus da Air France e pelos corpos das 228 vítimas no oceano Atlântico chega nesta segunda-feira a sua terceira –e possivelmente última– semana, tendo como prioridade agora encontrar as caixas-pretas e avançar nas investigações sobre o que aconteceu.

O drama do voo AF 447 Rio de Janeiro-Paris, desaparecido entre o Brasil e a África na noite de 31 de maio para 1º de junho, ainda não foi esclarecido, embora a presença de sondas de velocidade defeituosas no avião tenham levantado as primeiras suspeitas.

Até agora 49 corpos foram recuperados por barcos das Marinhas de ambos os países, assim como peças importantes do avião, como um fragmento da parte traseira.

A FAB (Força Aérea Brasileira) informou neste domingo que o número de restos humanos resgatados pelos navios brasileiros era de 43 e não 44, como havia anunciado anteriormente. Outros seis corpos se encontram em uma fragata francesa que também participa das buscas.

Os primeiros corpos já foram transportados para Recife, onde serão examinados por uma equipe de médicos para sua identificação.

Os pedaços do Airbus, expostos em um enorme hangar na base aérea de Recife, sugerem que a queda foi súbita e que não houve uma explosão a bordo, segundo a opinião de especialistas consultados pela imprensa brasileira.

O emissário especial do governo francês para as famílias das vítimas, Pierre-Jean Vandoorne, se reuniu com vários desses familiares no sábado no Rio de Janeiro.

“Sua preocupação principal é recuperar os corpos e entender as causas da catástrofe”, disse à AFP o embaixador francês, que neste domingo deverá viajar para Recife para reuniões com os militares brasileiros que realizam as operações de busca no oceano.

Ao final de duas semanas a pequena frota franco-brasileira continua efetuando um “pente fino” em uma enorme zona em alto-mar a 1.350 km de Recife.

No entanto, depois dos primeiros dias em que os marinheiros afirmavam navegar “em meio a um mar de destroços”, estes últimos ficaram cada vez mais raros, e possivelmente afundaram ou foram dispersados pelas correntes marítimas.

Os militares brasileiros já começaram a mencionar o fim das buscas, que continuarão “pelo menos até o dia 19 de junho”, segundo o brigadeiro Ramon Cardoso.

Apesar disso, a busca pelas duas caixas-pretas, que possivelmente estão a cerca 3.500 m de profundidade, devem ser intensificadas.

O submarino nuclear francês “Emeraude” começou a patrulhar a zona onde o avião havia caído, esperando que seus sonares ultrassensíveis captem os sinais que dois gravadores de voo emitem durante um mês.

Outros dois navios fornecidos pela França devem também trabalhar com dois “pingers locators”, sonares instalados em um cabo de quilômetros de extensão emprestados pelo Exército norte-americano.

O navio francês de exploração submarina “Pourqoi pas” também chegou à zona de buscas, com um submarino e um robô.

Restando poucos dias para o Salão Aeronáutico de Bourget, o drama levou a empresa europeia Airbus a assegurar que o modelo A330 é “um dos mais seguros já construídos”.


Air France 447 – Destroços do voo 447 chegam a Recife; tempo melhora em área de busca

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

da Folha Online

Os destroços do Airbus da Air France que estavam em uma embarcação da Marinha brasileira chegaram a Recife por volta das 10h deste domingo, segundo a Aeronáutica.

O Airbus caiu no oceano Atlântico no último dia 31, após decolar do Rio com destino a Paris, com 228 pessoas a bordo. Até ontem, as embarcações brasileiras haviam resgatado das águas do Atlântico 43 corpos. Um navio francês informou ter retirado seis corpos.

Leia a cobertura completa sobre o voo AF 447
Veja nomes de ocupantes do voo 447
Veja onde conseguir informações sobre o voo

As peças estavam na fragata Constituição e serão entregues a autoridades francesas, responsáveis pela investigação do que ocorreu.

Marcelo Sayão/Efe
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas

Buscas

Neste sábado (13), as buscas foram interrompidas devido ao mau tempo e nada foi encontrado.

Segundo informou neste domingo o porta-voz da Aeronáutica, tenente-coronel Henry Munhoz, as condições meteorológicas nas áreas de busca melhoraram. “Estão mais favoráveis [condições meteorológicas] do que as de ontem mas ainda não são ideais”, afirmou.

Entretanto, se necessário, é possível que o efetivo de 12 aparelhos da FAB sejam empregados para as buscas. As duas aeronaves disponibilizadas pela França passam por manutenção.

Revisão

Equipes que trabalham nas buscas de corpos de 228 ocupantes do voo 447 informaram neste domingo que foram localizados e tirados das águas do Atlântico 43 vítimas, e não 44 como vinha sendo informado.

Segundo comunicado à imprensa fornecido pela Aeronáutica, a retificação ocorreu após o trabalho de pré-identificação realizado em Fernando de Noronha por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco.

Segundo a PF (Polícia Federal), o fragmento encontrado possuía 80 centímetros e, após análise, constatou-se que se tratava de um pedaço de um animal marinho de grande porte que pode ter sido atingido por alguma embarcação de pesca.

O erro ocorreu devido à impossibilidade de reconhecimento visual, segundo a PF. Ao menos 16 corpos estão irreconhecíveis e em adiantado estado de decomposição.

A equipe que trabalha no arquipélago é formada por sete peritos da Polícia Federal e dois da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.


Air France 447 – Equipes corrigem para 43 o número de corpos resgatados do voo da Air France

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

da Folha Online

Atualizado às 12h48.

Equipes que trabalham nas buscas de corpos de 228 ocupantes do voo 447 informaram neste domingo que foram localizados e tirados das águas do Atlântico 43 vítimas, e não 44 como vinha sendo informado.

Segundo comunicado à imprensa fornecido pela Aeronáutica, a retificação ocorreu após o trabalho de pré-identificação realizado em Fernando de Noronha por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social do Estado de Pernambuco. O Airbus caiu no oceano Atlântico no último dia 31, após decolar do Rio com destino a Paris.

Leia a cobertura completa sobre o voo AF 447
Veja nomes de ocupantes do voo 447
Veja onde conseguir informações sobre o voo

A nota não traz detalhes do que ocorreu e informa apenas que detalhes serão dados ainda neste domingo, só que à noite.

Segundo a PF (Polícia Federal), o fragmento encontrado possuía 80 centímetros e, após análise, constatou-se que se tratava de um pedaço de um animal marinho de grande porte que pode ter sido atingido por alguma embarcação de pesca.

O erro ocorreu devido à impossibilidade de reconhecimento visual, segundo a PF. Ao menos 16 corpos estão irreconhecíveis e em adiantado estado de decomposição.

A equipe que trabalha no arquipélago é formada por sete peritos da Polícia Federal e dois da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.

Hoje, um Hércules C-130 da FAB (Força Aérea Brasileira) pousou em Recife com seis corpos catalogados e pré-identificados em Fernando de Noronha (PE).

Por volta das 15h30 de hoje, o representante do governo francês, o embaixador Pierre-Jean Vandoorne, se reúne com equipes da Marinha e Aeronáutica empenhadas nas buscas. Ontem, ele anunciou que a Air France está emitindo atestados de presença no voo 447 para os parentes dos passageiros do Airbus A330.

Marcelo Sayão/Efe
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas
Peças e objetos retirados do Atlântico durante buscas ao avião que fazia o voo 447 da Air France são mostrados a jornalistas

Vandoorne explicou que o documento comprovando a presença dos passageiros no voo pode acelerar o pedido do atestado de óbito e a entrada com processos cíveis.

Fragmentos

Destroços e objetos de pessoas resgatados na área de busca do voo 447 devem chegar neste domingo ao porto de Recife (PE).

Segundo os militares, os objetos ficarão a disposição dos franceses, responsáveis pela investigação. A Air France seria legalmente responsável pelos objetos, mas um acordo com a aeronáutica francesa passaram a responsabilidade para o órgão.


Air France 447 – Comando da Aeronáutica – Informativo à Imprensa 01

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

14/06/2009 – 10h31
Informativo à Imprensa 01 14.06.2009 – 10h30

Informativo à Imprensa 01

Militares esclarecem embaixador sobre trabalhos de busca

O embaixador francês Pierre-Jean Vandoorne visitará, neste domingo, dia 14, o centro de operações de buscas ao AF-447, no CINDACTA III, no Recife (PE). Ele participará, às 15h30, de reunião com as autoridades da Marinha e da Aeronáutica sobre o andamento dos trabalhos dos militares no Oceano Atlântico. Imagens da visita serão divulgadas na página da FAB na Internet.

Transporte de corpos – Pousou no Recife, na manhã deste domingo, dia 14, uma aeronave C-130 Hércules da FAB com seis corpos catalogados e pré-identificados em Fernando de Noronha.

Retificação de número de corpos – O número total de corpos encontrados é de 43 e não 44 (como divulgado anteriormente). A retificação ocorreu após trabalho de pré-identificação realizado por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.

Outras informações serão divulgadas em nota e coletiva de imprensa, às 18h, no CINDACTA III, no Recife


Viking: out with the old; in with the new

Click here for more news / Clique aqui para mais notícias

By John Croft

The “other” maker of large aircraft in Canada is in the final throes of completing a home-grown update to the country’s venerable indigenous workhorse – the de Havilland Twin Otter.

By July, Viking expects to complete certification of its $4.5 million DHC-8 Twin Otter Series 400, complete with more than 200 upgrades from the original Twin Otter, last produced by then certificate holder Bombardier in 1988. Viking purchased the type certificate for the Twin Otter and six other de Havilland aircraft from Bombardier in February 2006, restarting the Twin Otter line a year later. More than 600 of the 844 Twin Otters built between 1965 and 1988 are still flying.

The most noticeable change in the new aircraft is the Honeywell Primus Apex integrated avionics suite, featuring two primary and two multifunction active matrix LCDs. It is the cockpit that is slowing progress. Viking president and chief executive David Curtis says the “longest pole” in the certification tent is the Apex flightdeck due to the time required to set the equipment in place that will convert more than 200 of the aircraft’s analogue control signals to digital, the language of the integrated flightdeck.

Viking Twin Otter Viking Air
© Viking Air
Viking’s $4.5 million DHC-8 Twin Otter Series 400 has more than 200 upgrades from the original

The company in May was in the process of installing the conversion equipment, a series of Honeywell digital acquisition units, into the certification aircraft.

But slow-going is the recipe for the Vancouver Island-based company of 370 employees. Curtis says his steady state production rate of one aircraft a month by next year is “not an overwhelming rate, but one we can handle and achieve comfortably”. There is a downside, however. “Our biggest challenge is backlog with respect to production rate,” says Curtis. “People don’t want to wait two and a half years, but we need to walk before we can run.”

Curtis says he maintains an orderbook of 40 orders, including options, and the economy has not resulted in cancellations. Neither have delivery slots slipped, although heis “being fairly patient on progressive payments”.

As for parts sales for the existing de Havilland fleet, he says he has seen a “fluctuation” as flight hours have decreased. “Our timing from the perspective of the aircraft going into service will fit well with the economic improvement expected to take place in early 2010,” he adds.

Curtis plans to deliver five of the Pratt & Whitney Canada PT6A-34-powered twin-engined turboprops this year, the first four of which are in the final assembly plant and customer delivery centre in Calgary, Alberta. The Canadian government in part is helping to put wind beneath the wings of the Twin Otter. Curtis says the “first four or five” Twin Otters are likely to be financed by the Canadian Export Development Corporation.

By August, Curtis plans to have most of the Viking 400 engineering work complete, meaning the dozens of engineers assigned to the programme will be ready for a new assignment. “We’re playing around with what’s next,” says Curtis, offering a hint – “Buffalo?”